quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Peranzetta e Senise

Assisti, ontem, o Projeto Seis e Meia, que acontece nas segundas quartas-feiras de cada mês no Teatro Carlos Gomes, em Vitória - destaque-se: os shows são gratuitos!. A proposta do projeto envolve apresentações de músicos locais e convidados de renome nacional. As atrações convidadas foram Gilson Peranzetta e Mauro Senise.

A abertura ficou por conta do jovem compositor e violonista Edvan Freitas, que apresentou duas de suas composições para um público participativo. Em seguida, subiu ao palco o trio formado por Afonso Abreu (baixo), Pedro "Neneco" Alcântara (piano) e Marco Antônio Grijó (bateria). O trio mostrou-se seguro e equilibrado ao apresentar temas do cd Lapataya, recentemente lançado, e outros compostos por amigos vitorianos. A proposta do diálogo entre os músicos locais e os convidados se concretizou com a boa performance do tema Lapataya (Neneco), com a participação de Peranzetta ao acordeon e Senise ao sax.

A partir de então o show ficou por conta da excelente dupla convidada, que estruturou a apresentação baseada no cd Êxtase, mais recente produção desses grandes músicos, parceiros há mais de vinte anos. A longa convivência poderia explicar a coesão musical que os dois conseguem impor em suas interpretações, mas sabemos que só isso não é suficiente. Trata-se, além da amizade que os unem, da grande perícia e sensibilidade musical que cada um deles cultiva com muito trabalho. Os frutos do esforço conjunto se materializam nas performances ao vivo e no cd lançado.

Peranzetta, todos sabem, é um pianista mais que dedicado e trafega com desenvoltura por diversos estilos. Mauro Senise, por sua vez, não fica atrás: estudioso, incorpora a música como poucos e torna seus instrumentos (saxes alto e soprano e flautas) extensões do seu corpo e de sua sensibilidade musical. O disco por eles apresentado ao público traz o equilibrado amálgama das suas influências. Pitadas de erudição articuladas ao choro, ao jazz, ao samba permitiram ao público sentir como corpo e alma se unem. Agradecidos, aplaudimos e esperamos mais.
Vocês podem ouvir Celebrando Jobim e Miss Catete no podcast do Jazz Contemporâneo.

4 comentários:

Gabriela Galvão disse...

Tah, ms hj tem Mercatto Dona Lora, parece q o Fino Coletivo vai tocar e eu ñ consigo o endereço certo do seu perfil no 'myspace' p dar o serviço direito...

Me fala qual eh e bj!

Salsa disse...

O nome é luiz "salsa" romero.
Tem um link no blog: espaço do salsa.
Eu passei ontem no tal Mercatto e nada acontecia. Hoje eu toco na Lama (fino do rock). Amanhã cedo eu vou para Ouro Preto ouvir jazz.
A gente se vê (?) a semana que vem.

Gabriela Galvão disse...

Pois eh, a antinha aqui procurou o link no blog mas ñ achou... Fino do Rock!!! Fino Coletivo, Fino Trio, agora vou colocar o nome certo: Fino do Rock!!!! Fino Coletivo aliás eh uma bandinha bem legal.

Nossa, nem precisa desejar bon voyage, c crtza serah!

Yes,querido, semana q vm a gnte se vê, tomara!

Bisou

Guzz disse...

Salve grande Salva
eu estava certo de ir pra Ouro Preto mas imprevistos de trabalho não me permitiram, mais uma vez, comparecer por lá !

Vai ficar pra próxima !
Esperamos o TIM !

Abs,
Gustavo