domingo, 25 de janeiro de 2009

São João Coltrane

Bem, alguém tem que trabalhar nesse sítio. Salsa, pelo que parece, deve ter colocado o fígado no quarador depois da esbórnia em erma e recôndita praia (e deixou o telefone desligado). Eu, cá, não consegui nada de festa nenhuma em nenhum lugar para ter o que reclamar da natureza do álcool e dos petiscos insalubres servidos. Tive que me satisfazer com um ou outro disco em minha velha vitrola garrard e uma surrada garrafa de vodka com suco de laranja.

Um dos discos que me fizeram companhia foi o Settin' the pace, de São João Coltrane, que, como nos alerta as notas da contracapa do cd (eu tenho o lp), não se trata do tema imortalizado pelas interpretações de Dexter Gordon e Leo Parker. O título refere-se ao lugar ocupado no cenário jazzístico pelo genial Coltrane: ele estava realmente marcando um novo rítmo, impondo sua marca entre os jazzistas e os apreciadores desse estilo musical.

O disco é, como os outros por ele gravado no final dos anos cinquenta (sem trema, só para implicar), muito bom. São quatro temas (I see your face before me, If there is someone lovelier than you, Little Melonae e Rise'n'shine, sendo esta a única em up tempo) nos quais Garland, Trane, Chambers e Taylor conseguem construir um clima aconchegante sem resvalar para a melancolia. Poderia dizer que o clima das três primeiras faixas é totalmente cool não fora o sax incandescente de nosso herói, que tira faíscas com sua peculiar forma de tocar.

Deixarei a balada If there is someone lovelier than you para os navegantes, lá no podcast Quintal do Jazz

Caminho das pedras: Here

9 comentários:

Salsa disse...

Ê, não reclama de cabeça cheia, Vinyl. Ouviu e bebeu do bom e do melhor.

João Luiz disse...

Vocês estão bebendo muito! Manerem minha gente, olha o fígado! Quanto ao Coltrane, que sempre foi bom ao tocar baladas, o album em questão é politicamente correto, com a presença de uma "cozinha" com atuação muito eficiente. Boa indicação sr.Vinyl.

Vinyl disse...

Voltou, cachorrão? É, realmente, não tenho do que reclamar (a não ser da ressaca). Estamos aguardando as novidades.
sr. João, concordo com sua opinião. Eu acho até que a cozinha é responsável pelo clima mais cool do disco. Eu gosto bastante desse trabalho.

F. Grijó disse...

Salsa, o IPSIS LITTERIS mudou de endereço.
Corrija aí:

http://ipsislitteris.opsblog.org/

Grande abraço

Salsa disse...

Carái, Grijó, você muda de endereço com uma facilidade impressionante. Blog cobiçado pelos hospedeiros é assim mesmo.

John Lester disse...

Enfim algum bom jazz neste sítio de Baco e Dionísio!

É lamentável ver e ouvir um santo atirado assim ao submundo virtual.

JL.

Salsa disse...

Qual é Lester,
Só tem rolado coisa boa.

BORBOLETAS DE JADE disse...

Sou Traneano até a morte e confesso que esse album é um expoente que Coltrane deixou para os novos embaixadores do jazz.Gravado em 26 de Março de 1958 - Hackensack (NJ)e trazendo Red Garland ao piano, o album é um entre outros (no total 09) gravado naquele ano. Muito bom.

Munju disse...

Thank you for your great work!

..::New Feature::..

PNF Blogwatch beta

Discover the latest posts from your favorite music blogs at one place!!

http://www.prognotfrog.com/blogwatch

check it out!

cheers! :)