domingo, 18 de janeiro de 2009

Curtis Fuller

Ah, meus amigos, mais duas boas coisas caíram no meu colo, via avax, enquanto eu brincava na rede. Não há como não falar disso: dois representativos discos de Curtis Fuller, o grande trombonista que a partir do final dos anos cinqüenta (não abdico do trema, como também defende meu parceiro Salsa: reparem como o u fica como uma cara sorridente) torna-se referência para a nova geração de trombonistas.


O primeiro é The opener, de 1957, sua primeira gravação para a Blue Note, ladeado pelas feras Hank Mobley (tenor), Bobby Timmons (piano), Paul Chambers (baixo) e Art Taylor (bateria). Na bela balada A lovely way to spend an evening, que abre o disco, Fuller consegue nos convencer que ouvi-lo é justamente o que sugere o título da canção. O grupo, aliás, compõe a cena de modo sublime.


Em Hugore, quem inicia o passeio é o grande Mobley, admirável e versátil tenorista, com um solo na medida certa. Esse tema, mais balançado, permite a Fuller mostrar sua face hard. Ele mostra que sabe acariciar mas também sabe ser firme quando necessário. O disco ainda contém as faixas Oscalypso, Here's to My Lady, Lizzy's e Soon, nenhuma delas é dispensável.


Deixarei Hugore no podcast Quintal do Jazz


O link avax: here


PS - O segundo disco fica para o próximo post.

10 comentários:

Salsa disse...

Curti o Curtis. Esse eu não tinha.

andrea disse...

curtis fuller é demais!1 e eu adoro a sonoridade desse nome.
aliás, adorei o seu blog, foi acompanhá-lo desde já. passagem obrigatória!!!!!!!!!bj

Vinyl disse...

Fica tranqüilo (com trema), Salsa. Não trema, não tema, pq tem muito mais de onde saiu esse.
Andréa,
Valeu a visita. Depois eu passarei lá no seu espaço.

olmiro muller disse...

Curtis































Curtis Fuller é herdeiro direto de J. J. Johnson, sem imitá-lo.

Vinyl disse...

Pô, Olmiro,
Que espaçamento foi esse? Rsrs

olmiro muller disse...

Foi descuido na digitação.

John Lester disse...

Deadão pesado, hein Olmiro?

Mas, falando sério, vocês já foram indicados ao Prêmio Dardos? Não???

Que vergonha!

Salsa disse...

Que diabo é isso, Lester? Quem ou quê é dardos?

Gabriela Galvão disse...

Vinyl,

Jah eu abdico do trema com muito prazer, mas isso eh mt previsível.

Am... Eu sou uma esteta e tenho uns critérios um tanto... fúteis? para escolher o que me apetece. Soh pelas cores e fonte da capa do disco imaginei que fosse bom.

Hum... Oh, preocupem c o Dardos, ñ, pq jah vi mta porcaria exibindo o selinho dele.

Meninos, vcs estão demais. Gente, e CD?!

Tinha previsão de volta? Ñ, neh?

Então, tah. Bisous

Sergio disse...

"Deadão pesado, hein Olmiro?

Mas, falando sério, vocês já foram indicados ao Prêmio Dardos? Não???

Que vergonha!"

Quando eu disse esse moço é um fanfarrão (em lord), como ele mesmo não respondeu, achei q tinha me excedido.

Enfim, mas é calaro q vou começar pelo trombone.