sábado, 18 de abril de 2009

Karin Krog

Como eu falei do Arild Andersen não posso deixar de falar outro norueguês - norueguêsa, aliás - de muito boa estirpe musical. Trata-se da cantora Karin Krog. Eu a conheci enquanto procurava informação sobre o citado baixista. Estava lá, na rede, com seu sonoro nome, olhando para mim. Ao seu lado, protetores, Red Mitchell e Warne Marsh, dois marcos do jazz. Com essa companhia, pensei, deve ser alguma coisa boa.

Karin, segundo minha breve pesquisa, não é de amarelar. Ela se arrisca em diversas frentes - do pop ao avant-garde e free jazz. Pelo jeito, ela curte trabalhar com baixistas. A lista desses intrumentistas com quem já trabalhou inclui nomes como Niels-Henning Ørsted Pedersen, Arild Andersen e Steve Swallow. O seu currículo inclui parcerias com Shepp, Dexter Gordon e Kenny Drew. Em I remember you..., ela interpreta - bem - standards contemporâneos e do great american song book.

Não me decepcionei ao ouvi-la. Sua voz é quente e acolhedora, apropriada para aquecer as longas noites do inverno do seu país e, ambivalente, refrescar nossas quentes noites tropicais. Tecnicamente falando, a menina encarou uma formação que exige atenção: baixo, sax e voz não é o modo mais simples para se arriscar no canto. O clima cool do disco poderia resvalar para um clima mais pesadão, mais arrastado. O vazio ocasionado pela ausência de bateria e/ou piano tem que ser aproveitado na estrutura dos arranjos. O desafio, então, é para todos. O baixo tem que ser preciso para dar sustentação, e o sax, por sua vez, e aí é a praia de Warne, tem de manter-se sutil, sem arroubos, para não contrastar excessivamente com a voz da menina. E o silêncio, assim, pode se tornar um belo pano de fundo para o trabalho. Eu acho que o trio consegue isso.

Ouçam duas faixas ali no podcast Quintal do Jazz.

Link here!

Um comentário:

Vinyl disse...

Salsa,
Acho que você valorizou demais a moça. Ela não faz feio, mas o som é bom devido a presença de Mitchell e Marsh. tenho dito