sexta-feira, 28 de dezembro de 2007

Chambers again

Estou de volta, Vinyl,

E, de cara, vou pegar uma carona no post do mpbjazz sobre as esculturas etruscas do Salsa. A trilha sonora, de Paul Chambers, é do disco 1st bassist. Esse disco, gravado em 1960, foi o último em que ele aparece como band leader (gravou apenas oito nessa condição). Quem ouviu a faixa Bass region (lá no mpbjazz) deve ter percebido a sonoridade vigorosa e envolvente que dali emana. O melhor de tudo é que o clima percorre todo o disco. As cinco composições de Lateef (a sexta faixa é de Adderley) receberam um tratamento primoroso e privilegiam a performance de Chambers. O baixo, não poderia ser de outra forma, se faz ouvir sem pudores. O toque preciso e forte de Chambers propicia uma singular aura aveludada em todos os temas. Envoltos nessa aura estão Yusef Lateef, que impõe um bom contraste com a flauta e com o sax tenor; o trompetista Tommy Turrentine (irmão mais velho e menos conhecido do Stanley), por sua vez, mostra-se senhor de um sopro que merece ser melhor explorado pelo navegante (só gravou um disco como band leader - já estou correndo atrás); Curtis Fuller não precisa de apresentações e, no disco, mantém sua verve de bom instrumentista; Winton Kelly não fica atrás - esse é estelar; o baterista, Lex Humphries, de toque leve, conduz muito bem seu instrumento. Deixarei a camerística Blessed (de Lateef, mas que, acredito, agradaria ao velho Mingus) e o excelente Who's blues (de Adderley).

2 comentários:

F. Grijó disse...

Mr. P.C. é um dos grandes das cordas, é verdade. O "Whims of Chambers" e o ótimo "Bass On Top" estão entre os melhores - dos oito - como líder. Este (da resenha) já é clássico pelas presenças de Wynton Kelly e de Lateef.

Vinyl disse...

É verdade, CD, Chambers tem lugar marcado no Olimpo do jazz. Creio que ele não fez outros trabalhos como líder porque era super solicitado. Valeu o post.