quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Tommy Flanagan

Já afirmei, aqui e no Jazzseen, que o piano não é meu instrumento predileto. Tenham claro, porém, que isso não significa que eu não gosto de pianistas, ok? De fato, não sou muito chegado em trios (baixo, piano e bateria). Mas o universo conspira para que esse simples mortal entre em contradição e, de vez em quando, aparece um ou outro disco com essa formação que me obriga a rever meus conceitos. Um deles é uma homenagem a John Coltrane feita por Tommy Flanagan.

O disco em questão, gravado em dois dias do mês de fevereiro de 1982, chama-se Giant steps (clássico de Coltrane que, por suas variações harmônicas, tornou-se um dos desafios preferidos pelos músicos contemporâneos para demonstrarem suas habilidades e técnicas). Flanagan, ao piano, faz-se acompanhar pelo excelente baixista George Mraz e pelo baterista Al Foster. O trio propicia trinta e seis minutos e mais alguns segundos (a medida ideal: o bom e velho LP) de música do melhor nível. São seis temas muito bem tratados pelo trio: Mr. P.C., Central Park West, Syeeda's song flute, Cousin Mary, Naima e Giant steps. Uma palavra poderia resumir bem o que eu achei desse disco: elegante.

Vocês poderão conferir uma amostra ali no podcast Quintal do Jazz.

Link: HERE!

10 comentários:

edú disse...

Disco excelente como o próprio Flanagan de forma pessoal.Ele se destacava por ser um sujeito completamente discreto.Tommy é o pianista da gravação original de Coltrane - pelo selo Atlantic.Então o "pezinho" dele esta ajudando a sustentar aqueles gigantescos passos.A título de curiosidade, Giant Steps é o tema musical favorito do grande guitarrista e violonista brasileiro Heraldo do Monte.

Don Oleari disse...

Mr.Salsa:
Como ler e ouvir o que vocês mandam - aqui e no jazzseen, meus dois "bloguis de cabeceira" - digo que sempre adorei o piano do Flanagan.
Beleza! Abraço do Oleari.

Kati disse...

Só para lhe contrariar, postei uma música de Horace Silver lá no Belo Belo. Junto com uns poemas de uma poeta pernambucana que eu gosto muito. Vá lá. Kati.

João Luiz disse...

Esse "Giant Steps" é realmente muito bom. Procurem ouvir também "Moodsville 9", uma série da Prestige(OJC),com Flanegan tocando músicas conhecidas de uma maneira elegante e porque não dizer,relaxante. Uma única faixa em andamento mais rápido é a desconhecida "Je's Fine". Tommy Potter e Roy Haynes completaram o trio.

Vinyl disse...

Salsarete,
Acho que esse disco concorreu ao Grammy em 1982. Sabes se levou?

edú disse...

Quem venceu o Grammy de melhor álbum de jazz do ano de 1982 foi Miles Davis com o disco (lp duplo) “We Want Miles”.Tenho certeza q Tommy Flanagan não verteu uma lágrima sequer por esse insucesso.

O Pescador disse...

Se todos gostassem do amarelo, que seria do verde?
Adoro trios de piano, contrabaixo e bateria.
Tommy Flanagan é um dos meus pianistas preferidos. Ele, e mais uns poucos dos velhos tempos de Detroit (Hanna, Jones e Harris). E foi um dos preferidos de Ella Fitzgerald, por muitos anos.
Em finais de 70 e princípios de 80 gravou vários LPs em trio para o catálogo ENJA; inclusivé um com Red Mitchell e Phil Woods: Three for all.
Tenho especial apreço por este Giant Steps e por um outro dedicado à música de Monk: Thelonica.
Como diz Don Oleari, beleza!

Salsa disse...

É o tal negócio: o cara é bom mesmo. Dá pra encarar até com essa formação.

edú disse...

Tommy Flanagan foi diretor musical e pianista de Ella Fitzgerald por dois períodos q abrangeram um período cumulativo de quase 15 anos.

edú disse...

leia-se "períodos q abrangeram um espaço cumulativo de quase 15 anos".