domingo, 16 de agosto de 2009

Nove de março de 1955 - The Five's day

A Califórnia, todos sabem, produz bons vinhos, tecnologia de ponta, tem belas praias, tem um governador chamado Arnold que pretende taxar a maconha (enfim, a pretendida liberação não se dará em função do bem-estar público, mas sim por razões econômicas). Mas o que me interessa mesmo é que a Califórnia foi (não sei se ainda é) um celeiro e pólo atrator de excelentes jazzistas.

Trago-vos, hoje, mais um interessante grupo que brotou na costa oeste: The Five. Liderado por Pete Jolly, que não é da Califórnia mas de Phoenix, no Arizona - região mais conhecida por produzir bois e vaqueiros do que jazzistas. Pelo jeito, antes que fosse capturado pelo destino de percorrer campinas com algum outro galhardo cowboy e se tornar motivo de filme, Pete se mandou para LA para montar seu grupo de jazz. Uma boa escolha para nós, apreciadores do jazz. Eu o achei - e vocês poderão conferir - um pianista comedido mas capaz de impor boa dose de felling em suas performances. O rapaz manda muito bem.

Pois bem, um dia (ou noite) Shorty Rogers o ouviu em um buteco e também gostou do moço. Daí a convidá-lo para trabalharem juntos e, depois, se propor a arranjar o disco que ora vos apresento foi só um passo. Reunidos o excelente tenorista Bill Perkins, o trompetista Conte Candoli, o baixista Buddy Clark e o baterista Mel Lewis, formou-se, sob a batuta rogersiana, o The Five. O resultado, meus amigos, é agradabilíssimo.

Brindemos, pois, ao dia nove de março de 1955, que deixou de ser um dia qualquer a ser excluído do calendário e se tornou o dia em que The Five e mr. Rogers nos legou esse belo trabalho.

Ouçam ali no podcast Quintal do Jazz.

Link: here!

9 comentários:

O Pescador disse...

Caro Mr. Salsa
Estou a ouvir com muito gosto o podcast do Quintal do Jazz e agradeço por ter levantado um pouco o véu sobre as actividades de Pete Jolly enquanto jovem.
Apenas o conhecia do documentário "Piano Blues" de Clint Eastwood (2003), onde interpreta de forma magistral o seu tema Little Bird.
Saudações lusitanas.

Salsa disse...

Belo documentário, diga-se de passagem. Andei à cata de trabalhos de Jolly como líder e encontrei alguns (rede é pródiga). Postarei outros, depois.
Valeu a visita mr. Fisher.

John Lester disse...

Boa pedida Mr. Salsa.

Grande abraço, JL.

Seu Francis disse...

Lembro desse belo dia 9 de março 1955, um dia ensolarado do inverno na fria Picardie.

Outra coisa: já reservei um quarto em Ouro Preto nos dias do festival. Vamos te encontrar lá?

Salsa disse...

com certeza, mr. Francis. Vc será o nosso tradutor nas entrevistas com a francesada. Topas?

figbatera disse...

Que beleza, Salsa!
Adorei o som.

Salsa disse...

Aguarde as próximas postagens. O trem tá é bom, moço.

Érico Cordeiro disse...

Mr. Salsa mandando muito bem - como de hábito, ora pois, pois.
Som maneiríssimo!!
Abração!

Seu Francis disse...

Topo, Mr Salsa. Com prazer.