quarta-feira, 2 de junho de 2010

De malas prontas

Exatamente às seis da manhã, eu partirei rumo a Rio das Ostras para mais uma jornada ludo-musical. Na bagagem, seis garrafas de bons vinhos, uma de jack, um tenor, um giga de jazz no mp3, e disposição para encarar a parada.

Antes de partir deixo-lhes um disco que, por vários motivos, me impressionou bastante. Em primeiro lugar, a concepção dos temas e os arranjos. Apesar de ter sido gravado em 1961, a linguagem ritmica e harmônica, em alguns momentos, soou-me bastante contemporâneo. Aliás, no quesito ritmo, a rapaziada caprichou. Nenhum tema é parecido com outro. Os temas são bastante ousados e, logo, um prato cheio para os devaneios do grupo. Enfim, é um disco nada monótono.

Antes que me esqueça, trata-se de Dave Brubeck Quartet: Near-myth, com o clarinetista Bill Smith (autor de todos os temas que, como sugere o título disco, faz referência a diversas figuras mitológicas). Essa é a terceira e última das gravações em que Bill substitui Desmond. Completam o time Joe Morello e Eugene Wright. Não titubeio em sapecar cinco estrelas para esse disco. Fica difícil escolher apenas três faixas para vocês curtirem (por outro lado, qualquer uma serve - como eu disse, o disco é todo bom).

Curtam The unihorn, Bach an'all e By Jupiter

O link: Avax

9 comentários:

John Lester disse...

Prezado Mestre, que Baco esteja contigo nas grossas areias de Rio das Ostras. Infelizmente serei obrigado a permanecer em Vila Velha, preparando a exposição de nosso amigo Paulo Nardelli.

Quanto ao álbum, é realmente excelente, tanto que já estava alinhado entre minhas próximas resenhas. Tentarei outra coisa.

Grande abraço, JL.

Salsa disse...

Valeu, mr. Lester. Estarei na exposição.
abraços

Érico Cordeiro disse...

Caro Salsa,
Faço meus os votos do venerando Master Lester. Divirta-se e tome todas por mim. Quanto ao disco do Brubeck, trata-se de uma de suas mais reluzentes pérolas, embora não seja tão conhecido quanto o Time Out. De qualquer forma, tem um bloguezinho bem legalzinho, chamado Jazz + Bossa, onde há uma resenha sobre o Brubeck e esse disco (rs, rs, rs). O endereço é:
http://ericocordeiro.blogspot.com/search/label/Dave%20Brubeck
Abração!

John Lester disse...

Que falha imperdoável Mr. Cordeiro. Passaremos por lá assim que possível!

Grande abraço, JL.

Brunão disse...

Muito bom album e sequer conhecia.
Boa viagem Salsa!

Salsa disse...

Esse disco merece todos os comentários que vierem.

HotBeatJazz disse...

Ô¬Ô

Seu Salsa, escolhestes mais uma das inúmeras obras-primas do Brubeck. Me lembrastes de reouvi-lo, estava eu sendo um mau pagão, e fazia tempo que não reverenciava estes deuses, faunos e demais figuras mitológicas. Corrijo minha falha litúrgica neste exato instante!

Abraços

Ô¬Ô

Salsa disse...

Grande Beat, sempre ligado.

Ianê Mello disse...

Esse aí...eu tenho a honra de tê-lo. Magnífico CD.