sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Jazz by Ry Cooder


A primeira vez que ouvi o guitarrista Ry Cooder foi nos anos setenta, em um lp chamado Jamming with Edward, no qual tem uma versão do belo blues It hurts me too. Fiquei impressionado com a sonoridade metálica do slide que explora nas cordas de seu violão ou guitarra. Um som que, no universo jazzístico, pode ser aproximado do som de Frisell.

Cooder tem-se mostrado mais que um simples músico. Seu trabalho nos revela um profissional apaixonado profundamente pela música. Ele tem buscado, em incessantes pesquisas, conhecer as diversas linguagens musicais populares e, mais, mostrar as influências que se amalgamam e originam as diversas vertentes da música pop.

Meio por acaso, encontrei na rede um disco chamado Jazz, no qual Ry Cooder faz um apanhado das várias expressões que confluem no mainstream jazzístico. O tratamento dado por Cooder tenta manter o clima das primeiras gravações, das versões cantadas nos féretros em New Orleans, tudo muito bem arranjado. Não esperem encontrar jams com improvisos longos. O trabalho é mais um apanhado sobre a história do jazz. Processo - a história - que, como disse acima, parece interessar bastante ao guitarrista. É um trabalho curioso que merece ser ouvido e poderia ser um presente interessante para os aficionados do gênero.

O link: Aqui

9 comentários:

coimbra disse...

Salsinha,
uma boa noite para você, hoje, sem excessos materiais e emocionais.

Salvo engano o Ry Cooder foi o seguidor de primeira hora de Jimmy Hendrix.

O resto tem que ser o resto do ano.

figbatera disse...

Caro amigo,
um abração de Natal pra vc...

Salsa disse...

Obrigado, meus caros Coimbra e Olney.
Muita festa e som para nós todos.

pituco disse...

salsa san,

vou abrir o presente de papai noel...valeô e boas festas

abraçsons

Anônimo disse...

Boas festas, Salsa!

Obrigado, mais uma vez, pelas suas excelentes postagens.

Além de tudo o que você disse sobre o Ry Cooder, vale ressaltar que ele foi o grande responsável pelo redescobrimento do pessoal do cubano Buena Vista Social Club.

Abraços,
CA

João Luiz disse...

Ry Cooder p'ra mim e pop-rock pesado: coisa que transcende minha compreensão musical e, por favor, não ouse fazer qualquer relacionamento da música tocada por esse cara com o jazz. No mais um feliz ano novo para você mr.Salsa, demais familiares e também a todos so seguidores de seu blog. UM 2011 REPLETO DE JAZZ!

Anônimo disse...

Olá, Salsa!

Agora que baixei o disco, percebo que não é o indicado e sim 'Ry Cooder & Manuel Galbán - Mambo Sinuendo'.

É isso mesmo?

Abraços,

CA

Salsa disse...

Nåo. O link deve estar errado. Tentarei corrigir.
João, Cooder nunca foi rock pesado. E esse disco, como eu disse, nåo é um disco de jazz mas sim sobre jazz. Um histórico interessante.

Salsa disse...

Prezado CA, encontrei outro link no avax. Acho que dessa vez rola